Celulite

celulite 2.jpg

     A hidrolipodistrofia ginoide (HLDG), popularmente conhecida como "celulite", envolve alteração do relevo cutâneo e ocorre em 80-90% da população feminina após a puberdade, aparecendo nas regiões da cintura pélvica, membros inferiores e abdômen.

     A HLDG modifica a estrutura da pele e altera o tecido conjuntivo e, consequentemente, resulta no aumento da retenção de água, sódio e potássio, conduzindo à elevação da pressão intersticial e gerando compressão de veias, vasos linfáticos e nervos. E o tecido apresenta degeneração das fibras elásticas, proliferação de fibras colagênicas, hipertrofia dos adipócitos e edema.

     A HLDG pode ser classificada em 4 graus, e de acordo com sua forma clínica: compacta ou dura, flácida, mista ou edematosa.

     Não há uma causa única que influencia sua ocorrência, mas sim fatores que se somam e assim, contribuem para o aparecimento do distúrbio. São eles:

  • hereditariedade,

  • maus hábitos alimentares,

  • alterações metabólicas (ex. obesidade, gestação),

  • alterações vasculares,

  • patologias agregadas,

  • flacidez muscular e/ou tissular (pele),

  • sedentarismo,

  • uso de medicamentos (ex. anticoncepcionais),

  • alterações psicológicas,

  • alterações posturais,

  • disfunção hepática e/ou gastrointestinal,

  • estresse, bebidas alcoólicas, cigarro,

  • vestuário inadequado,

  • tratamentos inadequados.

     O tratamento da HLDG envolve uma gama de recursos que, quando perfeitamente integrados, proporcionam bons resultados. Por ser um distúrbio de etiologia multifatorial, os melhores resultados são obtidos com procedimentos variados e complementares entre si, sendo ainda muito importante a manutenção e/ou complementação doméstica e a mudança de hábitos, tais como alimentação inadequada, fumo, vestuário, método anticoncepcional, etc...

Logo-01.png